Marabá, 23 de setembro de 2020

O Sentido do Décimo Quinto Domingo do Tempo Comum

Por Dom Vital Corbellini – Bispo de Marabá – PA

Estamos celebrando o décimo quinto domingo do Tempo Comum. Estamos nos  40 anos da Diocese de Marabá. No dia 25 de agosto celebraremos esta data significativa juntos no Colégio Claretiano a partir das 8 horas da manha.
Cada domingo é sempre uma ocasião para participarmos ativamente na comunidade celebrando a ressurreição do Senhor Jesus Cristo que está junto do Pai e caminha conosco. O Senhor pede-nos para amar os irmãos e as irmãs para assim podermos amar a Deus.
Quem é o meu próximo? Quem se aproxima de Jesus não quer saber algo sobre o primeiro mandamento, mas o processo da vida eterna. Jesus o liga com a lei. Essa já falava do amor a Deus e ao próximo como a si mesmo. O jurista quer saber quem é o seu próximo? Mas Jesus responde à uma outra pergunta: Como podes te tornar próximo dos outros? Como nós podemos na vida cotidiana fazer-nos próximos dos outros? O bom samaritano faz de tudo para ser de ajuda. Dá o seu tempo precioso e o seu interesse pessoal. A caridade do discípulo de Jesus deve apreender muito dos exemplos concretos que a pessoa tem lá em casa.
Podemos dizer que a lei mosaica é boa na opinião de Jesus, pois ele respondeu bem, conforme o Senhor. Respondeste bem; fazes isto e viverás. No entanto o amor a Deus e ao próximo não pode sofrer cisões; são dois valores que se completam mutuamente. Porém surge uma pergunta: “quem é o próximo?”. De Jerusalém até Jericó, são algumas dezenas de Kms, um trajeto difícil, exposto aos ataques dos assaltantes. Jericó era a sede de sacerdotes e levitas. O sacerdote devia celebrar sacrifícios; o levita era especialista em leis. Eles não podiam se sujar. Sabendo que era a sua semana de serviços ao templo, eles iam até Jerusalém. Através da parábola de hoje Jesus ensina o que quer dizer amar ao próximo como a si mesmo; que dizer: tornamo- os irmãos daqueles que aparecem no nosso caminho e que tem o direito de esperar algo de nós.   Tornarmo-nos irmãos significa nos solidarizar e comprometer com as necessidades do próximo, sair de nosso mundo egoísta para penetrar no mundo do outro. Não somos irmãos automaticamente: temos que nos tronar irmãos mediante o compromisso efetivo. A fraternidade se constrói não está pronta. Desta forma tornar-se próximo é ser solidário. O amor ao próximo, mandamento da lei de Deus pode conduzir o ser humano à vida eterna. Imitemos o samaritano na solidariedade não só do ponto de vista humano, mas através desta ação podemos chegar à vida eterna. O Espírito Santo ilumine-nos para que amemos o próximo de verdade. Bom domingo a todos.

FacebookWhatsAppTwitter