Marabá, 22 de fevereiro de 2024

A importância das ações caritativas na Jornada Mundial dos Pobres

21 de novembro de 2023   .   

Por Dom Vital Corbellini, Bispo de Marabá – PA.

            Instituída pelo Papa Francisco celebrou-se a Jornada Mundial dos Pobres, cujo tema foi: “Nunca afastes teu olhar de algum pobre” (Tb 4,7)[1]. Perceberam-se a importância de ações caritativas realizadas em favor dos Pobres em toda a Igreja e na Diocese de Marabá. Foi no terceiro domingo de Novembro, dia do Senhor, dia da ressurreição de Jesus Cristo, dia da caridade, dia da sétima Jornada Mundial dos Pobres.

            Os pobres são pessoas.

            O Papa Francisco tinha presentes em sua mensagem neste dia, a facilidade de cair na retórica ou em números quando se fala de pobres. No entanto é fundamental afirmar que os pobres são pessoas, tem rosto, possuem uma história, coração e alma, com valores e defeitos, como todas as pessoas, mas que é importante estabelecer uma relação com eles[2]. Desta forma, segundo o Papa Francisco é fundamental a busca de gestos concretos em relação aos pobres, facilitando a harmonia necessária para que a comunidade ajude as pessoas pobres. A atitude para não desviar o olhar do pobre possibilite políticas públicas, a caridade para uma vivência digna dos necessitados e pobres[3].

Ações caritativas.

            A Diocese de Marabá realizou um cartaz em comunhão com o Papa e a CNBB na Jornada. Desta forma, foram realizadas muitas ações caritativas em favor dos Pobres, no domingo dia do Senhor. As comunidades, paróquias, pastorais, movimentos, serviços assumiram com fé, e com amor a missão de ajudar pessoas mais carentes, necessitadas. Algumas comunidades deram o café da manhã para os pobres, atenderam aos povos indígenas venezuelanos, distribuíram-se alimentos nas casas mais carentes nos bairros pobres das cidades e nos campos, ocorreu a coleta e a distribuição de alimentos por cestas básicas ou mesmo com alguma alimentação, arroz, feijão, macarrão, azeite, outros produtos alimentícios, e também a distribuição de roupas. O Papa Francisco colocou a necessidade de realizar gestos concretos, ações caritativas.

            Os pobres evangelizam às pessoas.

            Os pobres evangelizam as pessoas no sentido de que eles tomaram das coisas doadas o necessário para eles, não tomando a mais, porque tinham a consciência de que outras pessoas pobres também necessitariam das coisas para a sua sobrevivência. Percebe-se nisso não o acúmulo das coisas, mas as pessoas apanhavam o necessário, sobretudo, pela distribuição das roupas. O exemplo de vida das primeiras comunidades apostólicas inspira as ações caritativas no momento atual na Jornada Mundial dos Pobres de que as pessoas eram um só coração e uma só alma, também pelo anúncio da ressurreição da Jesus e elas repartiam o pão e tomava as coisas daquilo que era o necessário para a sobrevivência(Cf. 4,32-35).

            A presença do Senhor nos pobres.

            Se o Papa Francisco tomou como a frase de Tobite: “Nunca afastes teu olhar de algum pobre” (Tb 4,7) sendo a inspiração bíblica para a Jornada Mundial dos Pobres, focalizou a presença de Jesus junto aos pobres pela doação, ajuda às pessoas mais necessitadas.

            A solicitude para com os pobres seja um sinal da vivência do Evangelho de Jesus Cristo. É preciso ajudá-los para fazê-los sair da situação de pobreza, e perceber neles a presença do Senhor Jesus porque foi a Ele que as pessoas realizaram o bem (Mt 25, 40). O Papa Francisco terminou a sua mensagem para o Dia Mundial dos Pobres, tendo presente a necessidade da caridade, pontos atuantes também em Santa Terezinha do Menino Jesus e em Santo Antônio, na qual o Papa disse que é Patrono dos pobres, porque escreveu neste dia, 13 de junho de 2023, de modo que ninguém desvie o olhar do pobre, para encontrar nele o rosto humano e divino do Senhor Jesus Cristo[4].

            A palavra de Jesus.

            O Senhor Jesus disse aos seus discípulos que o julgamento final será sobre o amor dado às pessoas, aos pobres. “Eu estava com fome e me destes de comer; estava com sede, e me destes de beber; eu era forasteiro, e me recebestes em casa; estava nu e me vestistes; doente, e cuidastes de mim; na prisão, e viestes até mim” (Mt 25, 35-36). O Senhor dá-se presente nestas pessoas que sendo ajudadas por ações caritativas na qual Ele dirá: “Foi a mim que o fizestes” (Mt 25, 40). O povo carente e pobre buscou alimentos, comida, mas também roupas.

            As ações permanecem.

            A palavra de Jesus dá-se pelas ações concretas em favor dos Pobres. Os discursos passam, o testemunho de vida permanece. A caridade é a maior das virtudes (1 Cor 12,13). Deus seja louvado por tantas ações caritativas realizadas para a sua glória. Algumas fotografias apanharam-se para dar significado à ação porque como seguidores e seguidoras do Senhor abraçam-se as coisas boas, a vida do povo de Deus, a necessidade e de estar ao lado das pessoas pobres para que um dia toda a pessoa de bem ouça do Senhor: Venha participar da minha alegria”. (Mt 25,23).

[1] Cfr. VII Dia Mundial dos Pobres, 2023: «Nunca afastes de algum pobre o teu olhar» (Tb 4, 7) | Francisco (vatican.va).

[2] Cfr. Ibidem, n. 8.

[3] Cfr. Ibidem.

[4] Cfr. Ibidem, ns. 9-10.

FacebookWhatsAppTwitter

VEJA TAMBÉM