Marabá, 27 de maio de 2022

Maria, Mãe Educadora do Amor

13 de maio de 2022   .   

Por Dom Vital Corbellini, Bispo de Marabá – PA.

Este é o tema do quadragésimo segundo Círio de Nossa Senhora de Nazaré de Marabá, nos dias quinze e dezesseis de outubro de 2022. É um evento religioso muito bonito, expressivo de fé em Deus e em Nossa Senhora no Sul e Sudeste do Pará. Maria, Mãe Educadora do Amor, focaliza a Campanha da Fraternidade (CF) de 2022, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Maria foi a mãe de Jesus, prestando-lhe todos os serviços em vista de uma essencial educação familiar, comunitária e social. Ela leva o título de Mãe educadora do amor, porque ela foi uma mulher que viveu com a Sabedoria, e com o Filho de Deus na carne o educou com amor, na pessoa de Jesus Cristo, sendo manifestado por suas palavras e seus gestos. O amor visa a Deus, pois só Deus é amor (1 Jo 4,8). Jesus manifestou o amor do Pai, que é também dom do Espírito Santo. Ele revelou o Pai sendo a sua imagem, de modo que a pessoa olha para o Filho, reconhece nele o Pai e o Pai dá-se no Filho. Junto com São José, Maria sustentou uma educação fundamentada no amor que levou a Jesus a relacionar-se com os outros e com o Deus Pai. Vejamos a seguir estes pontos que possibilitam uma educação feita com fé, com esperança e com caridade.

            A CF 2022.

            A CF 2022 tem presente como tema a Fraternidade e a Educação e o lema: “Fala com sabedoria, ensina com amor” (cfr. Pr 31,26). A passagem bíblica faz parte de um poema final sobre a mulher ideal, excelente, da mulher perfeita, que é superior as pérolas preciosas. A sabedoria a coroa e ela fala com de uma forma perfeita[1]. Maria foi esta mulher que era excelente, simples, pois falava com sabedoria e ensinava com amor. É preciso ter presente que a fala de cada pessoa, seja fundamentada de sabedoria, como graça de Deus e também que o ensino seja dado com amor assim como o foram de Maria e de seu Filho, Jesus Cristo.

            Os significados das palavras.

            É fundamental perceber o significado das palavras mãe educadora. A palavra Mãe vem do latim mater-tris, cujo significado é mulher que concebeu e deu à luz, mãe vista na sua relação com os filhos mesmos[2]. Educadora vem do latim educatrix-icis cujo significado é que nutre, cria, aquela pessoa que faz crescer[3], que educa e, sobretudo que cumpre a missão de educar[4]. Maria leva a relação de ser mãe do Filho de Deus e de educadora dele na realidade humana, fazendo-o crescer nos ensinamentos humanos e divinos.

            A humildade de Maria.

            Maria foi uma mulher muito humilde, fator que a fez grande na educação de seu Filho Jesus. O fato é que ela cantou o cântico ao Senhor pois “Ele manifestou poder com o seu braço: dispersou os soberbos nos pensamentos de seu coração. Depôs os poderosos de seus tronos e exaltou os de condição humilde” (Lc 1,51-52). O orgulho, a vaidade e o poder não são considerados diante da pessoa que ama os simples, os pobres, assim como fez Maria. Ela ensinou as pessoas a serem humildes, pois a grandeza é dada por Deus porque só Ele é o poderoso e quer que as pessoas vivam na condição humilde, para fortalecer o Reino de Deus no mudo de hoje, numa realidade de conflitos humanos, guerras, de esperanças e de caridade.

            Maria, a Educada e a Mãe educadora.

            Ela gerou na carne o Filho de Deus. Ela disse sim ao plano de Deus pela salvação da humanidade: “Eis aqui a serva do Senhor” (Lc 1,38). Ela se dispôs como criatura a servir a Deus. Ela esperava a vinda do Salvador, como também todo o povo de Israel estava na expectativa pela vinda do Messias. Deus a escolheu para ser a mãe de seu Filho: “Conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus” (Lc Lc 1,31). Como ainda não estava tudo percebido quando o Senhor lhe propôs de ser mãe do Salvador, ela simplesmente se entregou ao plano do Senhor, cumprindo a sua vontade.

Ela também foi educada no caminho do Senhor para que uma resposta fosse dada na generosidade, com alegria e com amor. Ela recebeu a graça da presença de Deus em sua vida: “Alegra-te, cheia de graça! O Senhor está contigo” (Lc 1,28). Na educação recebida para a realização da vontade do Senhor, ela educou o seu Filho, Jesus. Ela assumiu como mulher querida por Deus a missão de acompanhar a Jesus, o enviado do Pai. Maria confiou em Deus em ser mãe educadora de Jesus.

Maria, educadora do amor.

Maria foi uma mulher atenta à vida do Senhor e de seu povo. Ela foi educadora do amor, pois Jesus revelou o Pai, sendo a sua imagem do amor de Deus. O amor faz as pessoas viverem na paz, na alegria do Espírito Santo; ele une as pessoas ao redor de Cristo Jesus. O amor nunca é interesseiro, mas prestativo, é generoso (1 Cor 13,5). No casamento de Caná da Galiléia, onde Jesus e os seus discípulos foram convidados para a festa, Maria estava presente (cfr. Jo 2, 1-11). Ela foi a primeira a perceber que o vinho faltou naquela festa. A sua atitude de pedir a Jesus a sua participação, permitiu que Jesus realizasse o primeiro milagre, transformando a água em vinho, quando ela se dirigiu para o seu Filho para que pudesse intervir naquela situação da falta do vinho. “Fazei tudo o que ele vos disser” (Jo 2, 5.). O vinho melhor veio ao final da festa que foi a transformação da água em vinho, com Jesus, o protagonista da situação.

O Círio e a prece à Maria.

O Círio de Nossa Senhora de Nazaré é sempre um momento de espiritualidade, onde as pessoas rezam a Maria, a Mãe educadora do amor para que ela leve os pedidos dos fiéis ao seu Filho Jesus Cristo. A oração é dada de uma forma intensa, mas também numa piedade popular que abre a pessoa ao mistério de Deus presente em Maria. É muito bonito perceber as pessoas com as mãos agarradas à corda da berlinda, que une a pessoa a Maria e ao seu Filho Jesus Cristo. O povo reza e canta louvores a Maria nas ruas como Mãe Educadora do Amor.

São João Damasceno, monge e sacerdote sírio, séculos VII e VIII colocou a importância de uma oração a Maria pedindo a ela o dom da salvação em Jesus, para que ela liberte as pessoas dos vícios da alma, sare os males do corpo, que ela doe para todos a luz do Espírito Santo. Ela ajude os fieis a inflamar-se de amor para com o seu Filho, e a vida de todos resulte a ele agradável. Maria permita que após tornar-se participantes da sua beatitude, vendo nela a glória do seu Filho, cantar-se-á sagrados hinos na alegria eterna, em unidade com o Pai e com o Espírito[5].

O tema de Maria, Mãe Educadora do Amor ajude a todos perceber que a educação é fundamental para levar as pessoas ao conhecimento da verdade humana e divina à pessoa de Jesus Cristo. A Igreja colabora nesta missão da educação porque junto com Maria viva-se a alegria de ser educado e educar os outros e levá-los à salvação eterna na glória de Deus Uno e Trino.

[1] Cfr. La Bibbia. Borgaro Torinese (TO), Piemme, 1995, pg. 1459.

[2] Cfr. Madre. In: Il vocabolario treccani, Il Conciso. Milano, Trento, 1998, pg. 882.

[3] Cfr. Vocabolario della Lingua Latina. Milano, Loescher Editore, 1997, pg. 298.

[4] Cfr. Educatóre. In: Il vocabolario treccani, pg. 510.

[5] Cfr. Giovanni Damasceno. Omelia sul transito di Maria, 3,5. In: La teologia dei padri, v. 2. Città Nuova Editrice, Roma, 1982, pg. 172.

FacebookWhatsAppTwitter

VEJA TAMBÉM