Marabá, 25 de fevereiro de 2024

O clero diocesano de Marabá realizou o retiro anual

14 de março de 2022   .   

De sete a dez de março, ocorreu no Sagrado Coração de Jesus, em Marabá, o retiro para o clero da Diocese de Marabá sob a orientação de Dom Alessandro Ruffinoni, bispo emérito de Caxias do Sul. Após dois anos sem o clero se encontrar devido à pandemia da covid 19, foi possível com todos os cuidados sanitários, a realização do retiro anual pelo clero diocesano. Foi muito bom o reencontro. As reflexões colocaram a importância do retiro, sendo uma graça de Deus que nós somos chamados a vivê-la. O retiro é sempre um tempo de revisão e de contato com Deus e com as pessoas. É preciso a oração, a contemplação. O retiro é dado em vista da missão pastoral, para que os ministros ordenados sirvam e amem a Cristo Jesus e ao povo de Deus a eles confiados. O retiro exige uma resposta positiva, de alegria, de paz e de amor. O pregador falou também da eucaristia, como pão para a vida eterna. A Igreja vive da eucaristia e a eucaristia vive da Igreja, na expressão de São João Paulo II. A eucaristia é o centro e o ápice da vida cristã. Os presbíteros são chamados a viver a eucaristia, fazendo sempre memória do Senhor Jesus na última ceia que disse: “Tomai e comei, tomai e bebei, fazei isto em memória de mim”. O sacerdote celebra na pessoa de Cristo Jesus, pois é o Cristo presente na vida dele e do povo de Deus. Nós somos servidores do Senhor, não os seus donos na missa e na missão, de modo que o ministro consagrado não é o centro da missa, mas o seu servidor. É Jesus Cristo o centro da missa. Como nós vivemos a eucaristia? Houve também uma lembrança do Beato Carlos Acutis, que amou a eucaristia e usou da internet para a evangelização, sobretudo em relação à eucaristia. O pregador teve presentes também os quatro pilares que sustentam o sacerdote, segundo o Papa Francisco. A figura de Jonas foi colocada pelo seu chamado e a sua fuga e como isso pode se refletir na vida do ministro consagrado. E por fim foi falado da presença do Espírito Santo na vida do ministro em vista da missão unida com o Senhor Jesus e com o Pai. Houve também a interpretação do capitulo XIII de São Paulo aos Coríntios, a respeito da caridade, do amor. O retiro foi muito bom como momento de graça e de responsabilidade humana. Esteve presente praticamente todo o clero diocesano de Marabá no retiro. Nós tivemos momentos de oração, de adoração ao santíssimo sacramento, a via sacra, a celebração penitencial, as laudes, hora media, vésperas, oficio das leituras, as santas missas diárias e a missa de encerramento do retiro. Nós agradecemos A Dom Alessandro, pela condução do retiro, ao povo de Deus que rezou para que nós realizássemos um bom retiro, como de fato ocorreu em nossas vidas de seguidores do Senhor Jesus e do Reino de Deus. Louvemos a Deus Uno e Trino pelo retiro da Diocese de Marabá e a oportunidade que tivemos para o encontro com o Senhor e com os irmãos sacerdotes.

            Dom Vital Corbellini

            Bispo de Marabá – PA.

FacebookWhatsAppTwitter

VEJA TAMBÉM