Marabá, 19 de junho de 2024

O tema do Círio de Nossa Senhora de Nazaré 2023 em Marabá.

27 de setembro de 2023   .   

Por Dom Vital Corbellini, Bispo de Marabá – PA.

            O quadragésimo terceiro Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Marabá, 2023, tem um tema muito importante para a vida cristã e para todas as pessoas de boa vontade que seguem o Senhor Jesus, caminho, verdade e vida (Jo 14,6): “Ó Maria, ajudai-nos a partilhar a Palavra e o Pão”. Ele está relacionado à presença de Jesus, como a Palavra do Pai e da Campanha da Fraternidade 2023, cujo lema é: “Dai-lhes vós mesmos de comer” (Mt 14,16). O tema delineia a vida de todo o Círio, o sentido litúrgico, o Simpósio Mariano realizado, as visitas nas comunidades, nas paróquias, o Círio Missionário, o Círio Fluvial e os dias propriamente ditos como no sábado e no domingo, 14 e 15 de Outubro.

            Ó Maria, ajudai-nos a partilhar a Palavra.

            A vida de todo o seguidor e seguidora está ligada a Jesus Cristo, por intercessão de Maria, a sua Mãe. Maria leva os pedidos das pessoas até o seu Filho Jesus Cristo. Nesta primeira parte, o lema é uma prece confiante que o fiel faz, pedindo a Maria para que ela ajude a todo o povo fiel cristão, seguidor de Jesus Cristo, a partilhar a Palavra, entendida como uma Pessoa, Jesus Cristo. Ele é o enviado do Pai, é o Verbo feito carne (Jo 1,14) que assumiu a realidade humana em tudo menos o pecado. A Palavra não é um balbuciar de coisas, mas é a Pessoa de Jesus de Nazaré, como Salvador e Redentor. É a Palavra eterna, gerada desde toda a eternidade pelo Pai e que se tornou Pessoa humana, entrando na realidade humana para a salvação de toda a humanidade.

            Maria, mulher meditativa.

            O evangelista São Lucas colocou um dado importante na vida de Maria santíssima, de mulher meditativa. No nascimento de Jesus à humanidade, os anjos cantaram aos pastores: “Glória a Deus no mais alto dos céus, e na terra, paz a todos por ele amados”(Lc 2, 14). Os pastores foram ver em Belém as maravilhas do Senhor que entrou na realidade humana, encontraram Maria e José e o recém-nascido deitado na manjedoura (Lc 2, 16). Eles relataram as manifestações, as coisas divinas a respeito do menino Jesus, e, Maria guardava todos aqueles acontecimentos, meditando-os em seu coração (Lc 2, 18-19). Maria foi uma pessoa que meditava as coisas de Deus na sua vida intima, em seu coração. A palavra meditar vem do latim meditari, cujo significado é curar, permanecer por um longo tempo e com intensa concentração a mente sobre uma afirmação, palavra sagrada[1]. A meditação faz a pessoa viver o mistério do Senhor em seu coração com maior vivacidade, em vista de uma atuação caritativa.

            Ouvir a Palavra de Deus e guardá-la.

            O evangelista São Lucas também disse que uma mulher no meio da multidão levantou a voz para afirmar a Jesus que era bem-aventurado o ventre que o gerou e os seios que o amamentaram. Mas Jesus respondeu àquela mulher que eram bem-aventurados antes as pessoas que ouvem a Palavra de Deus e a guardam (Lc 11, 27-28). Esta bem-aventurança era dirigida sem dúvida à sua mãe, Maria, como mulher que ouviu a Palavra de Deus e a guardou em seu coração. Jesus realçou a maternidade messiânica que fez Maria uma ouvinte da Palavra e operadora da mesma, guardando-a em seu coração.

            Ó Maria, ajudai-nos a partilhar o Pão.

            Na segunda parte do tema, a pessoa suplica a Maria para que ela ajude a partilhar o Pão. O tema está ligado à Campanha da Fraternidade 2023, da CNBB, que ressalta a fome e a partilha do Pão[2]. Jesus realizou a multiplicação dos pães para a multidão faminta. Diante da proposta dos discípulos para que o Senhor Jesus despedisse a multidão porque já era tarde e o lugar era deserto para que as multidões fossem aos povoados comprar comida, Jesus disse aos discípulos para que não fossem embora as multidões e eles mesmos dessem de comer (Mt 14, 15-16). Como uma pessoa trazia cinco pães e dois peixes, ele fez a multiplicação das poucas coisas de modo que todos se saciaram e ficaram felizes pela comida em abundância(Mt 14, 17-20). Jesus fez a ação maravilhosa da multiplicação dos pães, mas ele quer também que as pessoas façam o bem para os outros, sobretudo para todas aquelas que passam fome e necessidades.

            O Pão e a caridade.

O Círio de Nossa Senhora de Nazaré estimula a práticas de caridade, porque é próprio da pessoa fiel viver o amor aos outros. A relação com Deus, para ser verdadeira passa pelo amor ao próximo. O Senhor Jesus Cristo nos disse que somos chamados a amar-nos uns aos outros (Jo 13,34). Ainda o Apóstolo São João diz que quem ama a Deus, mas não ama o próximo, o seu amor é mentiroso, porque se não ama o irmão que vê como pode amar a Deus a quem não vê? (1 Jo 4,20). A caridade é fundamental diante da realidade da fome. As pessoas passam por dificuldades de comer, de modo que a ajuda na comida ou em políticas públicas é essencial. A indiferença ou a omissão seriam coisas que não ajudariam em nada diante da possibilidade da caridade a ser percebida pela realidade da fome.

A caridade é o distintivo do discipulado do Senhor.

A caridade faz a pessoas seguir a Jesus Cristo. Ele deu a sua vida pela salvação da humanidade. Ele também disse que quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la, mas quem a perde por causa de Jesus a encontrará (Mt 16,25). É preciso perder algo de si mesmo para o bem das pessoas que passam fome. Quando se tem amor pelos pobres como Jesus teve na evangelização (Lc 4, 18), tudo tem sentido na ajuda aos famintos e famintas. É o amor-caridade[3] que faz a pessoa sair de si mesma para ir ao encontro de quem passa fome ou possui a necessidade para comer.

            Ó Maria, ajudai-nos a partilhar a Palavra e o Pão.

            O tema do Círio de Nossa Senhora de Nazaré 2023 motiva a todos os fiéis a ler a Palavra de Deus e fazer obras boas de caridade, de amor. Com o pouco que se tem será possível fazer muitas coisas, o que foi feito pelo Senhor pela multiplicação dos pães e dos peixes. Ele saciou a multidão faminta, com responsabilidade mútua. Maria seja a intercessora junto a Jesus para que todas as pessoas vivam a Palavra de Deus, que é Jesus e a Palavra seja partilhada, assim como o Pão seja também partilhado para mais pessoas para uma vida digna conforme o Plano do Senhor.

[1] Cfr. Meditare. In: Il Vocabolario Treccani. Il Conciso. Monotipia Olivieri-Milano, Legoprint – Lavis-Trento, 1998, pg. 924

[2] Cfr. CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil / Campanha da Fraternidade 2023. Texto-Base. Brasília: Edições CNBB, 2022

[3] Cfr. Idem, pg. 81.

FacebookWhatsAppTwitter

VEJA TAMBÉM